Menu principal
 

Novos gestores do IFC tomaram posse

sexta-feira, 14 de Fevereiro de 2020

Na última quarta-feira, 12 de fevereiro, realizou-se a cerimônia de recondução ao cargo de reitora e posse dos diretores gerais de 12 campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense (IFC), no auditório da Escola Técnica do SUS de Blumenau – ETSUS Blumenau “Dr. Luiz Eduardo Caminha”, em Blumenau.

Estiveram presentes Sônia Regina de Souza Fernandes, reitora do IFC; Leandro Rodrigues da Silva, representante do prefeito municipal de Blumenau, Mário Hildebrandt; Osvaldo da Silva Sobrinho, coordenador da Coordenadoria Regional de Educação – Blumenau, representando o secretário de Estado da Educação de Santa Catarina, Natalino Uggioni; Isabel Cunha, coordenadora da ETSUS Blumenau, representante da diretora da ETSUS, Claudia Vilela Lange; além de servidores e estudantes do IFC, autoridades e representantes da comunidade externa.

Na abertura da cerimônia, Leandro Rodrigues ressaltou a importância da educação pública. “Nesta caminhada da administração municipal, conhecemos o trabalho da professora Sônia, que é muito firme na defesa dos interesses do Instituto Federal. Blumenau é uma cidade que conquistou há pouco tempo um campus da Universidade Federal. Temos uma luta histórica pela federalização da Furb e orgulha-nos muito ter o IFC e sediarmos a sua Reitoria. Eu também tenho origem na escola pública, portanto, entendo que, ao tomarem posse, os gestores reafirmam um compromisso muito grande, seja com a educação pública, que é o alicerce da grandeza do País, mas também com a defesa da democracia. Temos que nos manter – com base em princípios, metas e ações – firmes no propósito para entregamos, especialmente no trabalho do IFC, a possibilidade aos jovens de transitar de patamar social, para que possam construir uma sociedade melhor”, destacou ao relembrar que é egresso da universidade pública e também do IFC Campus Camboriú, onde fez curso técnico em 2002.

Posses

No primeiro ato de posse, Sônia Fernandes foi reconduzida ao cargo de reitora da Instituição para o quadriênio 2020-2024, sendo este um ato simbólico, pois a cerimônia oficial realizou-se em 28 de janeiro, na sede do Ministério da Educação (MEC), em Brasília.

Na sequência, os ex-diretores de campus receberam a homenagem pela contribuição durante a gestão. Na ocasião, Rosângela Aguiar Adam, ex-diretora geral do Campus Videira, discursou em nome da equipe. “Muito nos honra ter participado do IFC, que cresceu muito nestes quatro anos. Tal crescimento perpassou pelo trabalho e dedicação de todos. Se somos grandes, é porque trabalhamos juntos, acreditamos e oferecemos cada vez mais à comunidade uma educação pública, gratuita e de muita qualidade. O IFC foi crescendo e junto crescemos também nós, como pessoas. Unidos ajudamos no desenvolvimento de nossas regiões, formamos muitos estudantes, contribuímos na qualificação das pessoas, possibilitando uma qualidade de vida melhor, a partir da profissionalização, e mudamos a vida das pessoas, demos oportunidades a quem não teria nenhuma se não fosse o IFC”, destacou a professora.

Logo após, a reitora deu posse aos novos diretores-gerais dos campi: Cleder Alexandre Somensi (Araquari); Aldelir Fernando Luiz (Blumenau); Eder Aparecido de Carvalho (Brusque); Sirlei de Fátima Albino (Camboriú); Rudinei Kock Exterckoter (Concórdia); Tiago Lopes Gonçalves (Fraiburgo); Douglas Hörner (Ibirama); Eduardo Butzen (Luzerna); André Kuhn Raupp (Rio do Sul); Jorge Luís de Souza Mota (Santa Rosa do Sul); Adalto Aires Parada (São Francisco do Sul); e Jaquiel Salvi Fernandes (Videira).

Esta nova gestão de diretores-gerais é composta por professores. Nos agradecimentos, todos reafirmaram o compromisso de trabalhar pelo avanço do IFC baseado na missão institucional.

Entre os empossados, Eduardo Butzen, único reconduzido ao cargo, destacou a importância de se trabalhar e pensar institucionalmente no âmbito do Colégio de Dirigentes (Codir). “Estar à frente da direção-geral novamente é uma enorme responsabilidade. O sentimento de ainda poder contribuir para o fortalecimento do campus e do IFC, de não ter concluído uma etapa, me fez aceitar esse desafio. Mas não podemos pensar apenas no nosso campus, é preciso pensar na instituição, nas tomadas de decisões no Codir, para a consolidação de todo IFC”, declarou o diretor-geral do Campus Luzerna.

Diretora-geral do Campus Camboriú, Sirlei de Fátima Albino é a primeira mulher eleita para o cargo no campus em 66 anos de história e também a única nesta gestão de diretores. “Gestão não se faz sozinha, se faz em equipe. Por isso agradeço a cada um da equipe que aceitou esse desafio comigo. Daremos continuidade ao bom trabalho pelo IFC. O fato de ser a única diretora-geral não é motivo de orgulho, outras servidoras também deveriam pensar em ocupar os cargos de direção”, enfatizou.

No encerramento da cerimônia, Sônia Fernandes agradeceu aos membros da gestão anterior dos campi e da Reitoria, destacando algumas características que foram fundamentais para o reconhecimento do trabalho realizado. “Ser reconduzida pelos três segmentos – professores, técnicos e estudantes – é uma responsabilidade ainda maior. No contexto em que a defesa do outro, dos direitos, da educação como bem público, a defesa dos diferentes e dos desiguais, faz-nos pensar em muitas coisas e agradecer a esse conjunto de questões que permeiam nossas vidas. Agradecer significa assumir compromissos com aqueles que acreditam no compromisso e no respeito a esses processos”, ressaltou.

Ao retomar o histórico da Rede Federal, a reitora pontuou aos novos diretores que não se pode esquecer a origem do IFC. “Na condição de gestores, em que estamos agora, nós não podemos esquecer que a educação é um bem público para todos. Devemos continuar nesta defesa de que a educação continue sendo um bem público, gratuito, direito de todos e dever do Estado. Quando assumimos um cargo, estamos nos comprometendo com a Constituição, com a Lei de Diretrizes Básicas, com a Lei que nos cria e toda nossa questão institucional. Nosso desafio é trabalhar para a consolidação da Rede Federal, pela oferta de educação, pela permanência e pelo êxito de nossos estudantes, pelas condições de trabalho dos servidores e pelo desenvolvimento de Santa Catarina. Precisamos nos colocar no lugar do outro e zelar pelo bem público”, reforçou a reitora ao fazer um relato sobre a atual situação dos Institutos Federais.

Consuper

O período da tarde foi reservado para a posse dos membros titulares e suplentes do Conselho Superior do IFC (Consuper) para o biênio 2020-2021. A mesa de cerimônia foi composta pela reitora Sônia Fernandes e pela secretária do Consuper, Tábata Dias.

Após a execução do Hino Nacional e da abertura oficial da cerimônia por parte da reitora, os novos membros do Conselho dirigiram-se à mesa para assinar os termos de posse e posar para a foto oficial.

O evento teve sequência com a leitura da ata de posse pela secretária do Consuper. Em seguida, representantes dos diversos segmentos representativos do Consuper fizeram discursos de agradecimento.

Finalizando o evento, a professora Sônia fez uma breve fala, na qual destacou a importância do Conselho enquanto órgão máximo do IFC e ressaltou que cada conselheiro deve atuar amplamente como representante de seus segmentos, e não de suas unidades.

Depois do encerramento da cerimônia, a reitora do IFC conduziu uma apresentação sobre o panorama atual do Instituto, para conhecimento e orientação dos novos conselheiros.

O Consuper é o órgão colegiado máximo do Instituto – constando, no organograma do Instituto, acima do dirigente máximo. De caráter deliberativo e consultivo, é composto pela reitora e por representantes dos estudantes, professores e servidores técnico-administrativos da Instituição – bem como de egressos, do Ministério da Educação, dos diretores-gerais dos campi e da sociedade civil. A partir deste mandato, o Conselho conta ainda com representantes das entidades de classe dos trabalhadores do Instituto.

Cabe ao Consuper, entre outras atribuições, discutir e aprovar diretrizes político-educacionais do IFC; aprovar o Plano de Desenvolvimento Institucional e o Plano Político Institucional do Instituto – assim como os regulamentos internos e as propostas orçamentárias dos campi e da instituição com um todo; e deliberar sobre a criação ou extinção de cursos e unidades.

Acesse aqui a galeria de fotos da cerimônia.

Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães e Thomás Müller
Foto: Cecom/Reitoria